Como investir na relação Médico-Paciente, para melhorar os cuidados com a saúde.

Onde começa a relação Médico-Paciente? Como identificar oportunidades de relacionamento com os seus pacientes?

A relação Médico-Paciente, por um longo tempo, foi limitada apenas ao processo da consulta médica. Obviamente é um dos processos mais ricos para fortalecer e construir um relacionamento. Porém, o meio digital transformou uma série de comportamentos, inclusive o do paciente na busca por cuidados e informações de saúde e serviços médicos.

Tudo começa na necessidade atual do paciente, que está muito mais participativo e consciente do seu papel nos cuidados com a saúde. Cada indivíduo é responsável pelo cuidado e o médico é com quem ele pode contar para o ajudar e orientar no diagnóstico, exames e tratamentos.

Podemos dividir as oportunidades de relação Médico-Paciente em 3 diferentes fases:

1. Na fase de pesquisa (pré-encontro):

Os pacientes desejam ser e estar mais informados para melhorar o seu nível de envolvimento durante as consultas. Por isso, existe uma grande importância da busca de informações por parte do paciente. Principalmente pela influência da tecnologia e a facilidade no acesso de informação digital que possibilitam a busca de informações on-line sobre saúde. Os efeitos dessa prática, influencia a compreensão dos pacientes sobre a orientação medico-paciente. Essencialmente, porque os pacientes procuram informações para reduzir dúvidas, encontrar conforto de informação, esclarecer os requisitos de serviços e produtos, e outros fatores. Assim, sentem-se mais dispostos a melhorar a sua saúde e a interagir durante uma consulta com um profissional escolhido. Por isso, esteja onde o seu paciente está! Ele precisa do seu conhecimento e da sua orientação ainda no pré-encontro, crie esse caminho de relacionamento para ser o apoio do seu futuro paciente.

2. Na Consulta:

Este é o momento do encontro entre o médico e o paciente. Boa parte desse contato foi influenciado pelas atividades do pré-encontro, que facilita três elementos principais no período da consulta: as interações, a tomada de decisão partilhada e orientação médico-paciente. Logo, esteja (100%) com o seu paciente ou que ele perceba o seu cuidado, desde o seu processo de receção até a saída da consulta. Ouça-o, olhe-o nos olhos, examine-o com atenção, deixe-o falar, muitas descobertas estão neste momento. Tome nota dessas informações, monte um histórico desse paciente, tenha ferramentas que possibilite essa atividade. Tenha em conta que cada pessoa é única, e o seu papel nesse processo é de orientar com atenção. Parte da construção de relacionamento está na entrega e na atenção plena dedicada a esse momento.

3. Na experiência e expectativa no resultado esperado:

Outra etapa importante no relacionamento é a maneira como os pacientes se envolvem nas consultas e como se desenvolvem depois dela. O nível de empatia e sinergia gerada durante o encontro. Isso afeta amplamente as suas atitudes e percepções em relação ao serviço, valor geral realizado e grau de confiança no profissional de saúde. Seja transparente, didático e forneça meios para o seu paciente tenha um papel fundamental de participação e cocriação, seja no tratamento ou no desenvolvimento de alguma ação. Pesquisas relatam que quanto maior o envolvimento do paciente com o seu tratamento, melhor é o desempenho e o resultado.

Os médicos devem compreender o paciente e não limitar apenas o papel de fornecimento de informações em relação à notificação de sintomas. Os estudos sugerem que os prestadores de saúde adotem uma visão holística da prestação de serviços e considerem os elementos ou áreas essenciais nos encontros clínicos para capacitar os pacientes a assumir um papel participativo. Invista na qualidade que o seu conhecimento oferece para cuidar de pessoas e torná-las mais conscientes e participativas no processo de cuidado com a saúde. A participação ativa do início ao fim em encontros clínicos, potencializa o impacto da cocriação nos resultados esperados do serviço.

Está pronto para avançar e trabalhar essas oportunidades de relacionamento com os seus pacientes? Quais são os seus desafios para melhorar essa relação?

Se precisa de ajuda, conta comigo para apoiar nessa jornada.